fbpx

✅ Redes Sociais

🌎 Mapa

Blog

Conheça a Pixurum, comunidade de startups de Lages

Você sabe o que é uma comunidade de startups? Lages está criando uma, chamada Pixurum, que pretende ser mais um ator no desenvolvimento do pensamento inovador da região. O nome foi escolhido durante reuniões abertas à comunidade para a construção da comunidade de inovação de Lages. Ela está sendo desenvolvida através do Tento de Inovação do movimento Lages Estreitando Laços os participantes da  Pixurum começaram a estruturar a comunidade de startups a partir do movimento. 

Em conversas que foram iniciadas ainda em setembro de 2019, um grupo de lageanos busca aproximar tanto pessoas interessadas em criar startups com quem saber mais sobre o assunto. A proposta é desenvolver em Lages uma comunidade de startups, ambiente colaborativo e de troca de experiências que tem por finalidade enriquecer o crescimento desse tipo de empresa. 

Segundo a Associação Brasileira de Startups, entidade nacional que ajuda ecossistemas de inovação a crescer em todo Brasil, o termo startup define “uma empresa que nasce a partir de um modelo de negócio ágil e enxuto, capaz de gerar valor para seu cliente resolvendo um problema real, do mundo real, oferecendo uma solução escalável para o mercado, e, para isso, usa a tecnologia como ferramenta central”. Neste aspecto, ser escalável é ser capaz de crescer rápido, com um modelo de gestão que possa ser reproduzido rapidamente. 

Assim, por nascer em um ambiente de incerteza e que tenha necessidade de validação constante e de forma rápida, a startup precisa de uma série de recursos para se desenvolver. Pois é aí, que entra o papel das comunidades de startups.

Entusiasta do segmento de startups, Vitor Küster Bona é uma das pessoas por trás do movimento em Lages. Ele é CEO (diretor-executivo) da ilergic, startup fundada em 2018 que conecta pessoas que tenham problemas alimentares, como alergias, intolerância e outras restrições de consumo. Para ele, o movimento tem um diferencial que outros atores não conseguem suprir. 

“No momento estamos olhando para as startups existentes e compreendendo os fatores que estão impedindo que elas se desenvolvam. Como primeira ação, estamos buscando fazer um mapeamento das startups locais e quais são suas demandas, ou seja, quais são os desafios que estão enfrentando para alcançar o próximo estágio de desenvolvimento. Mesmo que métricas como número de unicórnios – startups avaliadas em mais de um bilhão de dólares -, quantidade de novas startups e quantidade de eventos pareçam ser mais importantes, a principal métrica de uma comunidade de startups é a comunicação entre as pessoas envolvidas com o ecossistema, a comunidade e outros atores. Quanto melhor a qualidade da comunicação da comunidade entre si e com os outros atores do ecossistema, mais desenvolvida ela será”, comenta ele. 

A comunidade Pixurum, que tem um grupo aberto no WhatsApp, tem a ambição de construir pontes e fomentar a rede de contatos, tanto pessoal como profissional de novos entusiastas, discutindo como as dificuldades enfrentadas pelos empreendedores podem ser superadas.  As reuniões são feitas em formato on-line, quinzenalmente. 

“A comunidade é aberta e construída através de trabalho voluntário, qualquer pessoa pode participar a qualquer momento. Conforme adquirimos maturidade como comunidade, ela mesma conseguirá se auto-organizar e guiar qualquer pessoa que queira participar. Desde quem é apenas um curioso sobre o tema de startups, quanto quem quer começar sua própria startup e não sabe como, quanto pessoas empreendedoras em estágios mais avançados buscando evoluir para a próxima etapa”, ressalta Bona, lembrando que os efeitos positivos disso ressaltam aspectos como geração de empregos, melhora na economia local e desenvolvimento científico, tecnológico e empresarial. 

Mapeamento de startups

Uma das primeiras ações do grupo Pixurum será o mapeamento de startups da região, o que permite identificar não apenas os desafios que elas estão enfrentando, mas também os próximos estágios de desenvolvimento. Esse objetivo, segundo Vítor, acaba sendo alinhado com aquilo que um Parque Tecnológico pode oferecer de melhorias para o desenvolvimento de novas startups e dos integrantes do ecossistema. 

Vitor Küster, um dos organizadores da Pixurum

“É um desafio comparar a importância da comunidade, com um parque tecnológico. Cada um tem sua função, que convergem em alguns pontos e divergem em outros. A única função de uma comunidade de startups é fazer com que as startups locais tenham sucesso. De forma paralela, um parque tecnológico tem diversas outras funções, não focando exclusivamente no sucesso das startups. São atores que se complementam, participantes distintos do ecossistema de startups e do ecossistema de inovação”, afirma. 

Saiba mais sobre a Pixurum: 

Instagram: https://www.instagram.com/pixurum/ 

Grupo do Whatsapp: https://plid.in/pixurumwhats 

Drive de conteúdos: http://plid.in/PixurumDrive

Sem comentários
Poste um Comentário

3 × 4 =